Painel discutirá Objetivos do Desenvolvimento Sustentável durante a Soea

Com a participação do assessor da presidência do Confea, eng. amb. Renato Muzzolon Jr., e do coordenador nacional das Câmaras Especializadas de Agronomia (CCEAGRO), Kleber Santos, o Confea definiu, em reunião nesta terça (11), no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a realização de um painel sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e Agenda 2030, durante a Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), a ser realizada de 16 a 19 de setembro, em Palmas (TO).

O coordenador da CCEAGRO explica que o ministério já retém uma significativa memória de discussão, que perpassa governos, em torno da atuação dos ODS no Brasil, especificamente em relação às ciências e tecnologias. “Eles também coordenavam uma câmara temática com diversos órgãos governamentais e não governamentais”. Moderador de um painel sobre o tema dos ODS na última Soea, em Maceió, ele destaca a importância de discutir a interface dos ODS com a engenharia e a agronomia.

“Eu já trabalho com a agenda ODS e considero importante fazer essa discussão sob a perspectiva de uma agenda mais pragmática, em torno de como os profissionais da engenharia, agronomia e geociências poderiam atuar sob o escopo dos ODS. Este ano, acredito que esse painel será mais amplo do que o do ano passado, discutindo algo mais próximo do profissional”, comenta.

Ele exemplifica que o ODS 2 trata da segurança alimentar, o que está relacionado, portanto, com a Agronomia. Já o ODS 11 aborda cidade sustentável, o que, segundo Kleber Santos, envolve um conceito de sustentabilidade que passa não só pela construção civil, mas também pelo paisagismo e bem-estar social. “A cidade não é só a construção, mas é o ambiente de bem-estar social, com áreas verdes, paisagismo, ciclovias, mobilidade”.

O coordenador da CCEAGRO acrescenta que a Bioeconomia transpassa vários ODS “e vai numa linha de que a gente deve trabalhar a sustentabilidade ambiental, promovendo várias tecnologias alinhadas à natureza e prevendo a captação das águas, a manutenção das áreas verdes etc. Seria uma nova economia alinhada com o uso sustentável da natureza, e essa é uma onda que está vindo muito forte, no escopo do ODS. No Brasil, temos potencial para sair na frente nessa história, do desenvolvimento de novos produtos farmacêuticos ao uso de produtos alimentícios não convencionais, como a produção de pequi e de açaí, que antes eram só extraídos. Trabalhar o potencial da natureza com tecnologia. Até mesmo o uso de nitrogênio captado por bactérias no solo, isso é Bioeconomia, o que baixa o custo e não precisa colocar a adubação sintética. Isso pode ser aplicado para todas as áreas”.

Papel da Engenharia

Segundo Renato Muzzolon Jr., a programação do painel será definida em conjunto com a Rede ODS Brasil, que também participou do encontro com o diretor do Departamento de Políticas e Programas de Ciências do ministério, geog. Sávio Túlio Oselieri, por meio da representante da Rede ODS Brasil, Patrícia Menezes, que havia participado ao lado do Confea recentemente de uma audiência pública na Câmara dos Deputados sobre os objetivos propostos pela Organização das Nações Unidas em torno da sustentabilidade no planeta.

“O tema será ‘O Papel da Engenharia, da Agronomia e das Geociências na Agenda 2030’, e por meio dele demonstraremos como todos os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável fazem interface com as atividades do Sistema Confea/Crea. Também haverá um tratamento específico sobre o tema Cidades Sustentáveis, previsto pelo ODS 11”, considera Muzzolon Jr., informando que o painel contará com a participação do PNUD, do Sistema Confea/Crea e do próprio diretor Sávio Túlio Oselieri.

Henrique Nunes
Equipe de Comunicação do Confea

0
Scroll to top