Engenheiros debatem a Norma Regulamentadora (NR) 12 durante a Soea

Na tarde de quinta-feira dia (19), a Norma Regulamentadora (NR) 12, que trata da segurança no trabalho em máquinas e equipamentos foi tema de debate durante a 76ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea). Os engenheiros Luiz Antonio Cosenza,  Nei Rodrigues Beserra, e Jaques Sherique debateram o Anexo 12 (A 12) da Norma (NR 12), que se refere aos equipamentos de guindar para elevação de pessoas e realização de trabalho em altura.

Na discussão, o coordenador adjunto de Câmaras Especializadas de Engenharia de Segurança do Trabalho (CCEEST), eng. mec de seg. do trab. Jaques Sherique, abordou como implementar corretamente a NR 12 A12 e mostrou que os maiores índices de notificações são em sistema de segurança, capacitação, manutenção, inspeção, preparação e ajustes de equipamentos. O palestrante explicou que os sistemas de segurança devem ser selecionados e instalados de modo a atender a categoria de segurança adequada das máquinas e equipamentos avaliados na empresa, assim evitando e prevenindo acidentes.

Veja o álbum de fotos da 76ª Soea

Confira a opinião de participantes da Soea

Já o presidente do Crea-RJ, eng. eleric e de seg. do trab.Luiz Antônio Conseza, falou dos acidentes constantes e de grandes proporções que vem acontecendo no Rio de Janeiro. “ Enfatizo que precisamos investir mais em capacitação e treinamento dos profissionais em todo o Estado”, defendeu.

Na sequência o eng. mec. Nei Rodrigues Beserra falou sobre inspeções preventivas em carros de cesta aérea de emissão acústica, que é um equipamento veicular destinado à elevação de pessoas para execução de trabalho em altura. Segundo o palestrante, ensaios de emissão acústica são de grande utilidade na detecção de defeitos ativos internos em materiais metálicos e em materiais compostos como plásticos reforçados com fibra de vidro. Ele acredita que suas propriedades fazem com que se apresentem como uma importante ferramenta de inspeção preventiva, alternativas simples a outras técnicas não destrutivas mais onerosas como ultrassom, radiografia e partículas magnéticas. “A implantação nas empresas de um programa de inspeções preventivas através de emissão acústica resulta em uma maior agilização dos serviços de manutenção e maior segurança no trabalho dos operadores e do pessoal envolvido nos serviços com carros de cesta aérea”, explicou.

 

Reportagem: Valcilena Oliveira (Crea – AC)
Edição: Fernanda Pimentel  (Confea)
Revisão: Lidiane Barbosa (Confea)
Equipe de Comunicação da 76ª Soea
Fotos:
Damasceno Fotografia/Confea e Marck Castro

0
Scroll to top